quinta-feira, 19 de julho de 2018

a espera


a difícil espera por alguém 
que tenha ousadia e coragem 
de chegar aqui e me comer 
com esse rabo empinado!


quarta-feira, 18 de julho de 2018

eu quero é mais 20!

vez ou outra é preciso se reinventar. seja mudando de trabalho, de casa, de visual ou até mesmo de fantasias sexuais.
quando se está há muitos anos juntos, muita gente reclama da monotonia, da mesmice, do sexo sem graça, dos poucos beijos em pé.
ouço que  há quem dê por dá e há quem coma só pra não tocar uma punheta no banho. vai ali , soca,  goza e ponto!
felizmente não temos percebido isso por aqui, espero que nunca cheguemos nesse nível,mas depois de 20 e tantos anos juntos precisamos pensar,repensar e as vezes inventar o que fazer pra que o sexo não perca a graça.
trabalhar, trabalhar,trabalhar e esperar um dia x pra fuder não está nos nossos planos.
foi por pensar assim  que saí de casa animada e  disposta a ter uma noite diferente.
fui pro salão e mudei sem avisar, fiz surpresa . arrumei  uma mesa especial,tomamos um vinho enquanto pensávamos na próxima viagem , dei pra ele em lugares inusitados e esquecidos pela casa. 
fudemos como há uns 15 anos atrás ... não digo 20 porque apesar de sermos novinhos e termos fôlego suficiente,  não tínhamos a criatividade de hoje.
quando aprendemos a sentir o corpo, dar com vontade e disposição,quando aprendemos a ter mais prazer em fazer gozar do que em gozar, paro pra pensar que quero mais, mais que vinte, quero dar  até morrer ... quero dar pra quem só me fez crescer nessa vida, me mostrou que cada marca no meu corpo tem um significado e se estamos bem, tudo vai bem!



quinta-feira, 12 de julho de 2018

motel a seis

fomos e foi bom.  na verdade  foi bem bom!
nos conhecíamos dos "choppencontros" da vida,  numa época em que mesmo com medo de encontrar gente conhecida a gente ia.
marcamos nem me lembro bem como,só sei  que um dos casais foi no nosso carro e o outro num outro carro. pegamos dois quartos e lá dentro nos amontoamos num  só.
imagine só,seis pessoas com muito tesão, um quarto de motel de um tamanho médio e muitos gemidos. foi assim.
ainda paro e penso que nunca mais vi uma cena tão linda quanto a do Renato comendo uma delas na janela . alguém, me comia, quando de relance vi aquela bunda gostosa empinada pro pau dele, que socava freneticamente na buceta melada ( eu conseguia ouvir o som que saia da buceta dela, me julguem!)
enquanto um trocava a camisinha, outro já estava a postos, as meninas se pegavam, ouvíamos gemidos a todo momento.
quando essas coisas voltam a mente, penso que Renato e eu vivemos um tempo bom do swing no Rio, ou talvez tenhamos vivido uma fase boa nas nossas vidas e que hoje está muito mais difícil, porque se disseminou um conceito diferente do que conhecemos e vivenciamos. 
atualmente quando vamos a casas de swing, não conseguimos mais ver aquele swing raiz. 
o que temos visto é uma balada liberal,onde pouquíssimos casais reais se pegam, se exibem e "swingam" .
 o que temos visto é diferente do que curtimos e isso tem nos afastado cada vez mais.
hoje preferimos conhecer pessoas por vários meios e tentarmos em um motel qualquer,porque cansamos de ter que ir a barzinho primeiro, porque cansamos de levar bolo, porque mudamos .
acho que estou ficando velha,isso sim!